Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Grupo Editoral Record reedita grandes obras literárias

No mercador editorial as coisas são muito incertas, ao menos para os leitores. Os livros são publicados com uma determinada tiragem e a depender de sua vendagem recebem novas edições, ou não. Tudo depende do desempenho da obra e seu impacto no mercado. Por isso, algumas acabam se perdendo por falta de tiragens e também por esgotar nas livrarias e lojas virtuais. O que é um tesouro para os donos de sebos, onde tornam esses livros verdadeiros objetos de luxo com preços exorbitantes.


0

Resenha #347: O Livro das Listas - Renato Russo

Título: O livro das lista
Autor: Renato Russo
Org.: Sofia Mariutti & Tarso de Melo
Editora:  Companhia das Letras
Edição: 1
ISBN: 9788535929744
Gênero: Almanaques, Lista de referencias
Ano: 2017
Página: 192

Adquira seu exemplar aqui!

Avaliação: 




Resenha


Referências musicais, culturais e sentimentais


Renato Russo foi um dos principais símbolos da década de 1980. O cantor que nasceu como Renato Manfredini Júnior em 1960 foi o fundador da banda de rock Legião Urbana, responsável por sucessos atemporais como "Que país é esse?", "Tempo perdido", "Eduoardo e Mônica" e tantos outros. Infelizmente a carreira do cantor foi tristemente interrompida aos 36 devido as complicações advindas da AIDS. 

0

Resenha #346: Pequenos Reparos – Omar Salomão

PEQUENOS_REPAROS_1499275003692291SK1499275004B

Título: Pequenos Reparos
Autor: Omar Salomão
Editora:  José Olympio
Edição: 1 
ISBN: 978-85-03-01317-8
Gênero: Poesia brasileira
Ano: 2017 
Página: 128
Adquira seu exemplar aqui! 

Avaliação: 







Resenha

Em seu novo lançamento Pequenos Reparos, Omar Salomão, conduz o leitor por uma nova poética, e o faz enxergar as sutilezas do dia a dia. O livro é composto por poemas que se relacionam a manuscritos, fragmentos, desenhos e fotografias.
IMG_8012
Com delicadeza o autor entrelaça os pequenos reparos que o faz ser quem é, fala sobre o processor artístico, o caminhar, o esquecer, desejo, mar e amar. Concreto e mar tem presença marcante nas poesias de Salomão, remetendo ao período que o autor morou no Rio de Janeiro, e depois se mudou para São Paulo.

Omar destrinchou a palavra, pois ainda tinha pendente um ofício de reparar: como se alguém precisasse de remendo, de restauro, seus versos são também consertos, voltas. O desejo de reconstruir o que foi atingido por estragos passados.
IMG_8021

IMG_8016
Seus poemas têm como característica retratar as delicadezas do dia a dia, mas sem deixar de lado as durezas e sujeiras da vida. Suas poesias iniciam sempre com letra minúscula, e quase não possuem pontuação, proporcionando  leitura rápida e direta.

A edição da José Olympio está simples e bela, combinando com o conceito do livro. Em papel off-white, que destaca as poesias, fotos e ilustrações. A folha de guarda do livro é repleta de poemas e ilustrações do autor.

Omar Salomão é poeta e filho, do também poeta e letrista, da geração beat Waly Salomão. Pequenos Reparos é seu terceiro livro sendo o primeiro À Deriva (2005) e Impreciso (2011) o segundo, ambos publicados pela Dantes Editora.

“olhos de gato
olhos de ressaca
observo de perto seus olhos:
precipício” Pag:96

0

Novo livro de Oscar Nakasato sairá pela Tordesilhas



O premiado autor Oscar Nakasato, que recebeu o Jabuti de 2012 de melhor romance com "Nihonjin", lança seu mais novo livro intitulado "Dois" pela editora Tordesilhas. O livro traz em seu enredo uma história de drama familiar mesclados com a escrita sensível de Nakasato. A narrativa fica por conta de dois irmãos já idosos com enfoque em pontos da vida defamília.


Capa do novo livro

Dois, de Oscar Nakasato


Zé Paulo é conservador e metódico; Zé Eduardo é irrequieto e instável; são irmãos, mas jamais se sentiram assim. Enquanto a narrativa coloquial do primeiro revela preconceitos e julgamentos, a do segundo se caracteriza pelas reflexões de uma pessoa que já não se reconhece na própria família. Zé Paulo vive em Maringá, onde se casa e tem três filhos. Zé Eduardo parte para São Paulo, onde luta contra a ditadura, é perseguido e acaba exilado. Quando retorna ao Brasil, procura o irmão, mas a aproximação é impossível. Na leitura deste romance, Oscar Nakasato nos leva com a sensibilidade de sua escrita a vivenciar as alegrias e dores das relações familiares.

Dois é uma história dramática que mergulha fundo nos segredos que aproximam e separam uma família. Seus personagens são marcantes e despertam no leitor uma sensação de “ame ou odeie”, sem que seja possível sentir qualquer dessas coisas por completo. Zé Paulo é, ao mesmo tempo, egoísta e um homem de família; Zé Eduardo é, ao mesmo tempo, compreensivo e imaturo. É impossível que o leitor escolha um lado, não há vilões ou mocinhos, apenas dois irmãos que não se reconhecem na própria família.

Você pode conferir um trecho aqui: Dois