Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Resenha #348: A Diferença Invisível - Julie Danchez

Título: A Diferença Invisível
Título original: La Différence invisible
Autor: Renato Russo
Ilustradora: Mademoiselle Caroline
Tradutor: Renata Silveira
Editora: Nemo (Grupo Autêntica)
Edição: 1
ISBN: 9788582863985
Gênero: História em quadrinho francesa / biografia
Ano: 2017
Página: 200
Adquira seu exemplar aqui!

Avaliação: 






Resenha


Há histórias que a gente ler sem nenhuma pretensão e elas acabam sendo não só experiências extraordinárias, como também nos trazem um leque maior de informações acerca de assuntos que até então éramos leigos. É o caso da grafic novel A diferença Invisível, de Julie Danchez e ilustrada por Mademoiselle Caroline.

Na grafic novel vamos acompanhar a história de Margarite, uma mulher de 27 anos que não demonstra nenhum tipo de diferença em relação às outras pessoas do mundo. Ela trabalha numa empresa, tem um relacionamento sério e vive como qualquer outra pessoa em sua própria casa. Por outro lado, há algumas coisas que ela não gosta como o barulho das pessoas no trabalho conversando entre si e lugares muito cheios. Isso porque ela é supersensível a sons e cheiros, tanto é que prefere dormir sozinha do que na companhia do namorado, pois caso compartilhe a cama com alguém não conseguirá pregar os olhos. Além do mias, ela frequentemente se sente deslocada e tenta manter as aparências; fugir da rotina é um pesadelo para ela.

Ela resolve buscar ajuda. Primeiro pedindo espaço no trabalho, depois com o companheiro e amigos, porém, nem todos a compreende, acham que é frescura ou besteira da parte dela e relevam seus problemas. Por fim, resolve buscar ajuda médica e é quando é diagnosticada com um tipo de Transtorno do Espectro Autista, a síndrome de Asperger. É então que sua vida toma uma guinada e ela terá que aprender a lidar consigo mesma e com as pessoas a sua volta, ou melhor, as pessoas devem entender as suas necessidades.
Essa é uma história baseada na vida de Julie Dachez, que foi diagnosticada tardiamente com a Asperger. Isso porque, geralmente, essa é menos visível nas pessoas do sexo feminino e com Julie não foi diferente. A jovem não sabia que tinha essa síndrome e como muitos acabou passando boa parte da vida fazendo o que lhe causava tortura sem saber ao certo o real motivo.

A HQ é toda voltada à informação, e de forma bem didática são mostradas essas partes do cotidiano, dessa maneira fica claro quais são as características de quem possui essa síndrome e de como devemos nos portar diante dessas pessoas. Muito ainda é mito em torno dela, tanto é que alguns amigos falam que ela ficará bem depois de tomar remédios, mesmo não se tratando de uma doença. Não é algo que se trate com medicamentos, nem que deve ser tratado como uma condição que vá tornar a pessoa invalida. Pelo contrário, essas pessoas apresentam muitos pontos positivos. Algumas figuras celebres são cogitados a terem essa forma de autismo como é o caso de Michelangelo, Einstein, Sócrates e Jane Austen.

DEFINIÇÃO CARACTERÍSTICAS INCLUEM:
  • Encontrar situações sociais confunsas
  • Difícil demanter uma conversa fiada 
  • Bom em pegar detalhes e fatos 
  • Difícil descobrir o que os outros pensam e sentem 
  • Pode se concentrar por períodos muito longos.
Fonte: Cambridge Longevidade Síndrome de Asperger Serviço

Sobre o desenho de Mademoiselle Caroline: ela possui um traço agradável, não sério, nem muito infantil. As cores usadas são bem pensadas, e conseguem passar os sentimentos de algumas situações, como o vermelho quando Marguerite está em caos interno por conta da hipersensibilidade.
Por fim, A Diferença Invisível é uma leitura leve, interessante pelo seu tema e extremamente informativa, mas sem ser academicista. Aborda  um tema pouco difundido de forma clara e eficiente. Ótima dica tanto para presentear alguém quanto para se ler e tomar conhecimento.

Mais que recomendada!


Até logo,
Pedro Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!