Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Mária Valéria Rezende vence o Prêmio São Paulo de Literatura


O romance "Outros Cantos" (Alfaguara), de Maria Valéria Rezende foi anunciado na noite de segunda-feira (6), como o vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura. A autora santista que mora na capital paraibana João Pessoa nasceu em 1942 e ganhou o prêmio Jabuti de 2015 na categoria romance com o livro "Quarenta Dias".

Com esse resultado, a autora recebe R$ 200 mil e participará da Feira Internacional do Livro de Guadalajara.

O baiano Franklin Carvalho ganhou na categoria autor estreante com mais de 40 anos com o livro "Céu e Terra" (Record). Já o campineiro Maurício de Almeida levou na categoria autor estreante com até 40 anos com a obra  "A instrução da noite" (Rocco). Ambos recebem R$ 100 mil e também participarão da Feira de Guadalajara. 

Inspirado em prêmios como o britânico Man Booker Prize, o Prêmio São Paulo de literatura é promovido pelo Governo do Estado de São Paulo.


Confira mais um pouco sobre os prêmiados: 


Outros Cantos, de Maria Valéria Rezende

Numa travessia de ônibus pela noite, Maria, uma mulher que dedicou a vida à educação de base, entrelaça passado e presente para recompor uma longa jornada que nem mesmo a distância do tempo pode romper. Em uma escrita fluida, conhecemos personagens cativantes de diversos lugares do mundo e memórias que desfiam uma série de impossíveis amores, dos quais Maria guarda lembranças escondidas numa “caixinha dos patuás posta em sossego lá no fundo do baú”. 

Com sutileza e domínio da narrativa, Maria Valéria Rezende vai compondo um retrato emocionante dessa mulher determinada, que sacrifica a própria vida em troca de algo maior. Outros cantos é um romance magistral, sobre as viagens movidas a sonhos.




Céus e Terra, de Franklin Carvalho

Com uma linguagem colorida, lírica e densa, Céus e terra conta a história de três mortes ocorridas em 1974: um cigano, um menino e um lavrador. O menino, chamado Galego, filho de família muito humilde, é decapitado por acidente logo no início da obra, quando então descobrimos que é esse pequeno defunto o narrador de toda a história. Sem piedade pela própria morte e sem sofrimento algum, o fantasma mirim acompanha a vida da cidade: o restaurante que se inaugura no velho casarão, o movimento da barbearia e da farmácia, a morte dos habitantes, os casamentos, a chegada e partida do circo. Nesta trama conduzida com leveza e agilidade, acompanhamos a trajetória do menino sem cabeça que vai se tornando um mito dentro da cidade e um sábio dentro dele mesmo, como se a morte pudesse, de fato, conter a chave de todos os mistérios.



A Instrução Da Noite, de Maurício de Almeida

Depois de anos desaparecido, um pai volta para casa, provocando, além de surpresa, uma avalanche de sentimentos contraditórios nos membros da família. Vencedor do Prêmio SESC de Literatura por Beijando dentes, Maurício de Almeida costura com grande habilidade o drama psicológico vivenciado por cada um dos personagens de seu intrincado novelo familiar em A instrução da noite, sua estreia na Rocco. Dialogando com a literatura de Osman Lins e Raduan Nassar, o autor cria belas metáforas para falar de situações e sentimentos como perdas, traição, frustração, solidão, medo e abandono, e dos traumas que cada um carrega, muitas vezes por uma vida inteira, e que influenciam sobremaneira as escolhas que fazemos ao longo dessa mesma vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!