Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
1

Resenha #341: As Garotas de Corona Del Mar - Rufi Thorpe

TítuloAs Garotas de Corona Del Mar
Autor: Rufi Thorpe
Título original:  The Girls from Corona del Mar (2014)
Tradutor: Sylvio Monteiro Deutsch
Editora: Novo Conceito
Edição: 1
ISBN: 9788581638072
Gênero: Romance Estrangeiro
Ano: 2017
Páginas: 288

Adquira seu exemplar aqui!

Avaliação:  



RESENHA


Uma história sobre amizade contada de forma crua e intensa, nos mostrando que as relações entre amigos nem sempre são como esperamos e que mesmo que as pessoas sejam transparentes conosco, ela jamais se revelaram por completo.

Mia e Lorrie Ann são melhores amigas desde de infância. Estudando juntas, sempre foram inseparáveis e  cada segredo, cada medo era compartilhado sem o menor esforço por ambas. Mia é fria e sem coração, como ela mesma se declara. Já Lorrie Ann é muito meiga , cativante, obediente e tem uma família estruturada que a envolve de amor e carinho enquanto a de sua amiga é cercada de arrogância e egoísmo. Mesmo com tantas diferenças entre elas, a amizade somente crescia e a admiração de Mia por Lorrie Ann só aumentava. 
"Falávamos pelo telefone talvez uma vez por mês, às vezes deixando mais tempo passar, mas sempre que falávamos era com uma intimidade fácil que sentíamos ter feito por merecer. Isso, isso era uma amizade de verdade." (Pág 79)

Tudo ia bem até que, a vida de sua amiga começa a desmoronar. E mesmo diante de toda dor e sofrimento , Lorrie Ann permanece a mesma: intacta e meiga , tudo que ela vive não afeta o seu comportamento e em nenhum momento a vemos reclamar, algo bem típico dela. Mia vê na amiga um exemplo de força e coragem, que consegue se manter firme em meio as adversidades. 

Quando a vida delas toma rumos diferentes, Mia se torna uma tradutora de escrita cuneiforme enquanto a vida da amiga parece que se afunda cada vez mais; o distanciamento é inevitável. Após um hiato de 2 anos sem se falarem, Lorrie Ann procura sua amiga na Turquia e as descobertas que elas irão fazer uma da outra  talvez não seja o que elas esperavam. 

Apesar da leitura ser um tanto densa, "As Garotas de Corona Del Mar" foi um livro que me agradou, não apenas por tratar de um tema que gosto muito, mas também por levantar questões quase que reais sobre esse tema. Desde o princípio da narrativa, podemos perceber que a amizade entre as duas garotas não é como as das outras: elas têm uma amizade forte, sem fofura ou conversinhas. E isso faz com que a história tenha um "quê" de originalidade a obra além de transmitir muita veracidade ao enredo, principalmente levando em conta que a trama foi baseada nas experiências pessoais da autora. 
"Não é que a Lorrie Ann estivesse se tornando religiosa. Não é que ela quisesse ser perfeita ou amada ou conseguir aprovação. Não.
Ela queria algo muito mais perigoso. Ela queria um sentido. E ela achava que conseguiria se seguisse as regras." (Pág 29) 
Lorrie Ann é o exemplo de perfeição, e Mia fica encantada com o jeito de ser dela. Sempre comportada, ética e bondosa. Ela é um modelo de ótima pessoa. Eu pude perceber que essa personagem pode/poderia ser uma projeção na cabeça de Mia, que via na amiga alguém que ela mesma gostaria de ser, impedindo-a de ver como Lorrie Ann era de verdade, mesmo que ela mostrasse o mais dela possível. É um erro acreditar que de fato conhecemos alguém totalmente. A relação entre essas duas amigas traz muito disso, e nos mostra que certas atitudes podiam estar sempre lá, mas a nossa "devoção" e admiração nos impediam de ver. 

Um dos pontos que mais gostei desse livro, é o modo como a maternidade é abordada: em seu mais verdadeiro sentido. Temos momentos distintos que esse sentimento é colocado na narrativa: na adolescência, na vida adulta e na vida adulta de quem cometeu aborto. Acompanhar o desenvolvimento psicológico nesses três momentos foi incrível, pois podemos perceber e entender melhor os medos e anseios que uma mulher sente ao ficar grávida e que ter um filho não é uma atitude qualquer, sem valor ou consequências. 
"E é verdade: todo mundo ignora uma mulher  em trabalho de parto.
É assim que os bebês nascem.
É assim que as mulheres são penduradas, como carne, em ganchos na parede." (Pág 130)
Outra coisa muito interessante na obra, é a forma como a autora coloca na trama assuntos polêmicos e sensíveis como aborto , sentimentos de uma mãe que perdeu tudo e tem que cuidar sozinha de um filho doente e drogas, isso me faz aplaudi-la por conseguir unir tudo isso ao enredo sem deixar pontas soltas , produzindo assim uma narrativa única. 
Um ponto que também não posso deixar de comentar, são as reações que Mia tem após reencontrar sua amiga , depois de tanto tempo, e ouvir suas histórias, que a princípio soam absurdas para a Lorrie Ann que ela conhecia. É quando isso acontece que ela entende que talvez nunca tenha conhecido verdadeiramente a amiga. Ela percebe que todo o amor que sente por ela, tapou todos os defeitos de Lorrie fazendo-a enxergar alguém que não era exatamente daquela forma. Essa situação, nos lembra muito quando as pessoas que "conhecemos" tão bem fazem algo que nos choca por não ser aquilo que imaginamos delas, como se tivéssemos algum poder de escolher como as elas devem se comportar e que atitudes devem tomar. É até engraçado como ainda nos sentimos no direito de julgar alguém por suas "escolhas erradas" , quando nós mesmos estamos sujeitos a tomar tais escolhas. 
"Quem era eu para julgar a Lorrie Ann? Quem somos todos nós para julgar? Isso ia além de jogar pedras tendo telhado de vidro. Não era apenas que ninguém pudesse ser condenado. Era que não existia essa coisa de julgamento." (Pág 150)
Graficamente a capa difere da original, sendo bem mais bonita (na minha opinião), o livro apresenta uma diagramação simples e letras em fonte confortável. Acredito que toda a essa simplicidade faz desse, um livro bem bonito. 

"As Garotas de Corona Del Mar" é um livro que mostra a realidade de uma amizade complicada, e nos faz perceber o quanto podemos desconhecer aqueles que são tão próximos a nós. Uma narrativa verdadeira e crua , que vale a pena ser lida. 


Um comentário:

  1. Hello!
    I loved the post, I didn't know your blog and I followed it, would you follow mine back?

    Greetings!
    Obsesión por la lectura

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!